Design a serviço do futuro

Trabalho remoto: desafios, benefícios e guia prático

O coronavírus foi um gatilho para reforçar a importância de colaborar remotamente. Reunimos um pouco de contexto e dicas para você que está iniciando essa jornada.

De uma hora para outra, tudo mudou

Estamos todos em estado de alerta. A Organização Mundial da Saúde declarou que o coronavírus é uma pandemia, ultrapassando condições de surto ou epidemia devido às suas proporções globais. Em meio a tantas notícias, algumas de fontes duvidosas, fica difícil entender qual o real risco que isso representa e como devemos lidar com essa situação. Entramos em pânico ou será tudo um exagero? Seguiremos nossas rotinas, mesmo à distância? Que medidas as organizações devem adotar para manter os seus negócios de pé e seus colaboradores produtivos?

O coronavírus é apenas um dos imprevistos que nos afasta do local físico de trabalho. Problemas de saúde, catástrofes naturais, ou emergências pessoais fazem parte das outras inúmeras possibilidades que podem ocorrer no dia a dia que nos obrigam a encontrar alternativas para cumprir com nossas responsabilidades remotamente.

Quando paramos para pensar para além da atual pandemia, outros movimentos como o crescimento da geração freelancer, a expansão geográfica de negócios e o desejo das pessoas em trabalhar de casa também já vinham contribuindo para aumentar o interesse no trabalho remoto. E graças à propagação do uso de computador pessoal, smartphones, conexão estável à internet, acesso a espaços de trabalho colaborativos e a mudança do modelo mental das empresas, trabalhar fora da empresa nunca foi tão fácil. Mas quais são as boas práticas que podem nos ajudar a cumprir com nossas responsabilidades quando estamos distantes de nosso escritório e colegas?

Trabalhando remotamente: conceitos e impactos

Diferente de fazer home office, trabalhar remotamente significa fazer o seu ofício da onde você se sente mais confortável, produtivo e feliz – podendo ou não ser da sua própria casa. Pode inclusive ser do escritório da empresa, já que o seu time pode não estar no mesmo local de trabalho que você.

Enquanto algumas organizações ainda não estão se adequando a esta nova realidade, outras abraçaram esta mudança com tudo, implementando até mesmo práticas que favorecem uma cultura chamada de remote-first. Diferente de uma organização remote-friendly, que permite que o trabalho remoto seja feito, estas empresas entendem que funcionários remotos são sua prioridade. Isto significa que se atentam não apenas com as ferramentas usadas, mas também com o modo como a cultura da empresa é planejada para ser inclusiva com estes trabalhadores distantes.

As pessoas também possuem diferentes formas de abordar o trabalho remoto, já que algumas dizem se sentirem muito mais motivadas com a autonomia para escolher onde realizarão suas tarefas, enquanto outras ficam desmotivadas por uma série de questões.

Consolidamos abaixo alguns dos benefícios e dificuldades identificadas por pessoas e organizações quando falamos de trabalho remoto.

Empatia, colaboração e experimentação no trabalho remoto

No caso específico de quem trabalha com Design, aplicar de forma remota os principais pilares de nossa abordagem – empatia , colaboração e experimentação – é possível e funciona. Na Livework, é uma competência necessária já há algum tempo, aplicada a pesquisas com usuários, sessões de cocriação e teste de protótipos.

Um exemplo disso é o recente trabalho para uma grande farmacêutica onde tivemos a oportunidade de capacitar e trabalhar de maneira remota a sua equipe de representantes comerciais. Ao fazer isso, aprendemos a gerar engajamento à distância, realizar dinâmicas de workshops online com muitas pessoas e a infraestrutura necessária para operacionalizar tudo isso. Percebemos com esta experiência que o espaço físico não é um impeditivo para ativar empatia, colaboração e experimentação em projetos.

Prepare-se para trabalhar remotamente

A decisão de trabalhar remotamente pode parecer simples, mas se não for um processo gerido corretamente, pode gerar riscos jurídicos e/ou operacionais para o negócio, além de descontentamento nas pessoas. No entanto, em uma situação emergencial como a que estamos vivendo, não há exatamente tempo para planejar esta mudança da maneira ideal. Trabalhar remotamente é uma das poucas saídas que temos nesse momento, e queremos incentivar que todos façam o seu papel para impedir o avanço da contaminação de outras pessoas com o vírus.

Estamos torcendo para que nossas rotinas possam logo voltar ao normal. No entanto, é importante que olhemos para o que está acontecendo como uma oportunidade de aprimorar nossas habilidades e ferramentas de trabalho remoto. É por isso que, a partir de nossos próprios aprendizados em projetos e pesquisas realizadas sobre o tema, resolvemos compartilhar algumas das melhores práticas que identificamos para ajudar a manter a nossa produtividade, economia e serviços funcionando em um guia prático para ler em seu celular.

Clique aqui para baixar o guia prático.