Negócio circular
Design a serviço do futuro

Negócio circular: menos desperdício, mais valor

Acreditamos que:
–  Os relacionamentos com os clientes geram valor para os negócios
– Um negócio sustentável sempre performa melhor.

Os modelos de negócios circulares mesclam esses dois elementos, fazendo que sejam uma excelente oportunidade para muitas empresas.


Por que eu deveria estar interessado?
Os modelos de negócios circulares criam três grandes oportunidades para os negócios, ao mesmo tempo que reduzem o impacto no planeta.

Eles ajudam a aumentar as margens: migrar de um modelo transacional orientado para o produto para um modelo de serviço de receita recorrente permite margens maiores. Isso se deve à capacidade de estar mais perto dos clientes e criar um maior valor percebido para eles. As receitas também são mais constantes, resultando em uma situação financeira mais estável. (Slack, 2005)

Eles permitem que você se aproxime dos clientes: ampliar o número e a qualidade dos pontos de contato aumenta a oportunidade de agregar valor.

Eles podem permitir retornos mais elevados com custos de material mais baixos: criar e reter mais valor dos insumos materiais significa um ganho notável. 

 

negócio circular

O que o Design de Serviço tem a ver com isso?

Veja os exemplos da Adidas e da Nike. A Adidas produziu sapatos que são “feitos para serem refeitos“: criou-se um produto nos quais os materiais dos sapatos velhos são mantidos no ciclo e transformados em novos. A Nike, por sua vez, oferece um serviço de assinatura de calçados infantis, em que o cliente pode atualizar seus sapatos regularmente.

Modelos de negócios circulares não requerem apenas um Design de Produto diferente. Eles também exigem novos serviços. Os modelos de Adidas e Nike não funcionariam sem serviços que envolvessem os clientes em todo o ciclo de vida do produto – desde o reconhecimento e compra até a devolução ou recompra.

Os serviços fazem com que a Adidas receba os sapatos usados para serem, então, reciclados. No caso da Nike, as famílias devolvem os produtos e os substituem. E são eles — os serviços — que permitem às marcas interagirem com seus clientes, sendo, portanto, essenciais para o sucesso dos modelos de negócios circulares.

As especificidades da forma como os clientes experimentam o serviço são fundamentais. Um modelo circular deve ser adequado para a marca e para o segmento de clientes. Isso é algo que pode — e deve — ser projetado. É aí que entra o Design de Serviço.

Negócio circular

Ótimo, mas com isso acontece na prática?
Tudo parece muito emocionante, mas, claramente, é mais fácil falar do que fazer. Migrar para um modelo circular é uma mudança significativa tanto para a empresa quanto para seus clientes. Ambos devem alterar hábitos e adotar novas formas de se relacionar com os bens materiais que utilizam em suas vidas.

Os serviços de compartilhamento de carros são um bom exemplo. O Drive Now, da BMW, tem um retorno maior por veículo por meio do compartilhamento de carros do que por meio das vendas tradicionais de veículos. Isso, no entanto, só é possível se os consumidores adotarem uma relação muito diferente com a mobilidade pessoal: deixar de possuir um carro para acessar um como meio de se deslocar do ponto A para o ponto B.

O que está impulsionando a adoção?
Os setores estão mudando drasticamente e o mercado está acelerando a um ponto em que os modelos circulares estão se tornando cada vez mais populares. Por que isto está acontecendo agora?

Primeiro: os consumidores já não são mais os mesmos. Há uma mudança de geração chegando com os consumidores mais jovens, que cresceram alugando e compartilhando Essa geração possui uma nova ética, apresenta finanças apertadas e adota hábitos digitalmente nativos que tornam as novas ofertas mais adequadas ao seu modo de vida.

Segundo: a regulamentação está chegando. A conscientização sobre a crise climática está acelerando a agenda e o impacto em todos os setores, da moda à indústria, já pode ser notado. Os produtores serão obrigados a assumir a responsabilidade sobre resíduos, sobre a extração da matéria-prima e sobre sua pegada de carbono nos custos de produtos e serviços.

Terceiro: alguém já está fazendo isso. Vivemos em um mercado repleto de disrupção, inovação e fácil acesso às ferramentas para a criação de novos negócios. Se você não olhar para as oportunidades para o seu negócio, é extremamente provável que outra pessoa o faça.


Quais são os desafios e facilitadores?

Como em muitas transformações, o desafio é chegar lá. Os modelos circulares podem parecer bons no papel, mas apresentam vários obstáculos. Muitas empresas estabelecidas não têm a capacidade de receber e processar produtos já usados. Além disso,  a cultura dominante ainda é a de fabricar, comercializar e esquecer.

Existem três recursos que permitirão a uma empresa começar a adotar modelos circulares:

  • Construir a capacidade de desenvolver relacionamentos com o cliente: conhecer suas necessidades e hábitos deve complementar as atividades mais tradicionais de marketing de produtos.
  • As empresas precisarão navegar de um modelo de negócios basicamente transacional com base nas receitas de vendas para negócios relacionais, onde o Customer Lifetime Value (CLV) é mais importante.
  • Você precisará de um ecossistema confiável e escalável de parceiros de apoio no mercado que podem fornecer manutenção, gerenciamento e devoluções de produtos.

Use o Design para implementar um modelo de negócio circular

Para empresas já estabelecidas, o desafio é adaptar o modelo de negócios e a organização a algo novo. Provavelmente, haverá resistência para ambos. É preciso ter uma abordagem que permita explorar o futuro e provar o valor antes de qualquer grande transformação. Vamos considerar isso por meio do modelo desejável / factível / viável.

Em termos de desejo do cliente, será que eles comprarão? Os modelos circulares por si só são bastante genéricos. Para se diferenciar, você deve entender a maneira única de sua marca oferecer essa experiência. Existem muitas formas de implementar um modelo genérico. Mas o caminho certo para você só pode ser acessado chegando lá, testando e aprendendo. Fazer experiências no mercado e explorar uma variedade de conceitos com os clientes fornecerão mais informações do que qualquer grupo focal. Felizmente, a prototipagem é uma maneira eficiente e eficaz de aprender.

Então você fez isso. E logo surge a pergunta subsequente:

O negócio é factível? Identificar qual modelo funciona para sua empresa e seus clientes pode ser usado para definir critérios de sucesso para experimentos. Lembre-se de que alguns modelos só funcionam em escala, portanto, é necessário um nível elevado de comprometimento e coragem.

Finalmente, é essencial considerar se a entrega do serviço é viável. Muitos negócios de produtos estão longe de possuir recursos de serviço. É importante entender o que o novo modelo significará e as opções que você tem para entrega. Mais uma vez, a prototipagem é a resposta, dando a você a oportunidade de explorar novos recursos, parceiros e aquisições.

Negócio circular

A circularidade será um grande desafio para a maioria das empresas. Mas, com uma abordagem de Design, ela abre grandes oportunidades para estabelecer novos relacionamentos com seu cliente e desbloquear um novo valor no ecossistema.